Tecnologia e Inovação

Domínios CcTLD: O que são?

Afinal o que são domínios CcTLD? Cada página da web tem um endereço único, também chamado de URL (Uniform Resource Locator), que permite ao utilizador acedê-lo digitando-o num browser. A sua estrutura é sempre a mesma: www. (inserir esta parte na barra de pesquisa é opcional), o nome e o término do domínio, chamado de TLD. Sabia que este último elemento é da maior importância para o posicionamento orgânico? Portanto, ao escolher o nome de um domínio, é altamente recomendável que se informe bem sobre ele.

 Tipos de domínio ou TDL

Existem dois grandes grupos de domínios. O primeiro é formado pelos domínios genéricos de primeiro nível ou gTLDs (generic top level domain). Os domínios neste grupo não são atribuídos a nenhum território específico e têm um mínimo de 3 caracteres. Alguns exemplos de domínios que pertencem a esse grupo são “.com”, “.info”, “.net” ou “.org”. A entidade responsável pela regulação desses domínios é o ICANN (Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números), uma organização internacional sem fins lucrativos que administra os domínios genéricos, atribui os identificadores de protocolos e endereços de alojamento IP.

Em segundo lugar estão os domínios de primeiro nível do código do país ou ccTLD (country code top level domain). Estes, ao contrário dos primeiros, estão associados a um país. São compostos por dois caracteres e, hoje, já existem cerca de 300. No entanto, é de salientar que a União Europeia é uma excepção à nomenclatura padrão estabelecida já que, embora não constitua um estado, também tem um ccTLD: o “.eu”.

Os ccTLDs, ao contrário dos gTLDs não são geridos pelo ICANN, mas por organismos independentes em cada país, para que eles possam ser regidos por normativas diferentes. Portugal, como outros países, permite que qualquer utilizador registe o seu ccTLD, ou seja, o “.pt”, especificando que a pessoa tem qualquer ligação com o país. Não é o caso de outros, como a Andorra (“.ad”) ou a Austrália (“.au”), cujas regras são muito mais restritivas e só permitem o registo dos seus ccTLD aos cidadãos e às empresas residentes nesses lugares.

Os ccTLDs e o SEO

A maioria das pessoas que adquirem um domínio geralmente dão grande importância ao nome URL, deixando a terminação ou o TLD como um simples complemento irrelevante. É verdade que o nome é importante para o SEO e idealmente deve incluir as palavras-chave mais relevantes para o negócio ou a temática do mesmo. No entanto, o TLD também é importante para o posicionamento orgânico da página web. Provavelmente já ouviu falar que o Google cada vez mais dá mais importância ao SEO local, como resultado do aumento do uso de dispositivos móveis. Nesse contexto, não é de surpreender que os domínios de TLDs geográficos estejam melhor posicionados nos seus países de origem. Como tal, se precisar de escolher o domínio de um novo site estando a sua empresa estabelecida num país específico, opte pelo seu respectivo ccTLD. Por outro lado, se a sua empresa está activa internacionalmente, como pode ser o caso de e-commerce em que vende os seus produtos à escala global, é recomendável que adquira um gTLD.

Escolher um domínio para um novo site é importante e deve reflectir bem sobre ele, já que uma vez que o coloque em funcionamento, será mais complicado fazer a mudança. É verdade que pode sempre fazer uma migração de um antigo para um novo site ao fazer um redireccionamento permanente (301), embora retire força SEO ao segundo endereço. Leve em conta a área de actividade do seu negócio on-line e escolha em função dele um gTLD ou um ccTLD.

Aqui encontra os melhores conteúdos para o seu e-commerce